Vaso foi vandalizado no cemitério (Créditos: Felipe Faleiro)

Presidente Lucena – Segue intrigando os moradores do município o caso da oferenda religiosa encontrada no Cemitério da Comunidade Evangélica, nesta sexta-feira, 12. Os objetos, como pratos, copos e garrafas, estavam junto ao túmulo de Armando Seewald, um dos primeiros empresários do município.

Armando, falecido em 1982, foi proprietário de uma venda onde também funcionou a primeira sede da Prefeitura de Presidente Lucena, e onde hoje funciona o Restaurante Dheinhaus, na avenida que também nomeia o município.

O neto de Armando, Gustavo Dhein, afirmou que “não se abala” com o material encontrado ao lado. “Lamento mais pelo vandalismo e depredação”, comenta ele, se referindo ao vaso quebrado que também foi encontrado no cemitério, porém junto a outro túmulo.

O prefeito Gilmar Führ (Nack), também disse que lamenta o ocorrido. “Acho lastimável. A pessoa vai visitar os parentes falecidos e encontra isto. É ruim usar este espaço onde a população tem seus familiares para fazer este tipo de vandalismo”, disse Nack.

Linha Nova teve episódio parecido

O episódio faz lembrar outro, ocorrido em Linha Nova, relacionado ao roubo de cruzes no Cemitério Evangélico e descoberto nesta semana. Neste caso, o fato chegou a ser comentado pelas pessoas ouvidas pelo Diário em Presidente Lucena.