Conecte-se conosco

 

Colunistas

Ainda vamos falar de kerb

Na noite de ontem aconteceu o Baile da Saudade na Sociedade Harmonia. É o último ato relativo ao kerb, encerrando praticamente todas as festividades. Como vimos a estimativa é de que 70 mil pessoas circularam por Ivoti atraídas pelo kerb nos três dias, sexta, sábado e domingo. Só que para o ano que vem tem que haver algumas mudanças. O melhor seria nos inspirarmos na Oktober de Igrejinha, que é promovida integralmente por uma associação integrada por particulares e que assumem a realização do evento. A Prefeitura de lá não mete a mão, ela apenas cede o parque onde a Oktober é realizada. O resto é feito pela associação que envolve toda a comunidade. No ano passado, aconteceu um fato que chegou a ser notícia país afora. O DJ Alok se apresentou lá com um cachê de 170 mil. Quando ele ficou sabendo que todo o lucro da festa era destinado para entidades beneficentes, Alok doou 120 mil reais para o Hospital de Igrejinha. Como dos 3 milhões e 142 mil do lucro da festa, 650 já couberam para o Hospital, o total que foi destinado ao hospital chegou a 770 mil reais. Aqui em Ivoti temos que pensar numa entidade para promover o kerb. A ideia é sentarmos já em março para debater o assunto. Alguém dirá que a Prefeitura não metia a mão até uns anos atrás e o kerb estava definhando ano após ano. É verdade. A realidade hoje é outra. O kerb é uma realidade, um sucesso, e só precisa de um empurrão para crescer ainda mais. Este ano deu para ver como a população está se envolvendo cada vez mais.

LOCAL

O que lamentamos é o fato de Ivoti não ter um parque, um local para a realização de grandes eventos. Não temos nada e perdemos feio para Presidente Lucena e Hortêncio. Tínhamos tudo para ter este local há 20 anos quando o entorno do ginásio municipal estava a venda. Prefeito, vice, vereadores, ninguém se interessou. Faltou simplesmente espírito público um tiquinho de sangue de estadista de um político para enxergar a necessidade de comprar o entorno do ginásio, o que triplicaria o tamanho da área. Uma quadra inteira nos fundos que era do Instituto foi oferecida para o município para pagamento em leves parcelas. O campo do Gaúcho também poderia ter sido comprado. Ninguém se interessou e está lá o ginásio sem entorno algum. Perdemos a oportunidade de termos uma área grande e nobre no meio da cidade. Faltou sempre um líder de verdade, alguém que encabeçasse as maiores aspirações da população e as transformasse em realidade.

ÁGUA

Eu sei o que é e como são nossos governantes. Para tirar a Corsan daqui eu lutei sozinho durante vários anos até que nos livramos da Corsan. Não fosse eu puxando a frente e hoje estaríamos consumindo água do Rio dos Sinos. Tem cabimento uma coisa dessas, sabendo que nossos poços artesianos fornecem água suficiente para abastecer 5 Ivotis e água com propriedades minerais. Por causa da cabeça oca de nossos políticos quase fomos anexados à rede de água que vem até Estância e capta água em Campo Bom no Rio dos Sinos. Isto seria o maior absurdo. Escapamos dessa só por causa do absurdo que seria isso. A maioria das nossas lideranças políticas não tiveram o tirocínio suficiente para nos livrarmos deste absurdo. Eu sei o que passei, das várias batalhas que tiveram que ser enfrentadas até a vitória final.