Bombeiros: mais de 19 mil horas de trabalho voluntário em 2018

O comando do Corpo de Bombeiros Voluntários esteve na Câmara segunda-feira, apresentando o relatório referente ao ano de 2018. Dentre tantos números que atestam a importância do trabalho realizado, vou destacar dois: foram 19.180 horas de trabalho voluntário ao longo do ano. Durante este período, aconteceram 2.667 atendimentos, das mais diversas naturezas, como estamos acostumados a ler e ver.

NO MUNDO IDEAL

No mundo ideal estaríamos festejando a medida preventiva adotada pela EGR no trecho do pórtico até Linha Imperial. É assim que uma estrada asfaltada se mantém em boas condições por muitos anos. Tal medida certamente faltou em Linha Temerária. Mas não estamos no mundo ideal. Nele, uma estrada como aquela já teria o devido acostamento e terceiras faixas em pontos estratégicos. No mundo ideal, autoridades públicas não ostentam o início de uma obra paga com dinheiro do pedágio, como aconteceu no bairro Pousada da Neve. Num mundo minimamente ideal, uma obra igual a da Linha Olinda não para quando está na metade, deixando uma estrada intermunicipal em situação parecida com um campo de batalha. Então, estão certos aqueles que criticam a EGR pela falta de critérios ao estabelecer prioridades.

DEFENDENDO A EGR

Sou um crítico da EGR e penso que ela nem deveria existir. Mas é importante fazer justiça em relação a alguns pontos.

1 – Se o recapeamento no sentido a Linha Imperial não era tão necessário, o mesmo não pode ser dito do trecho de Linha Brasil. Lá as obras foram necessárias, pois estavam aparecendo buracos perigosos no asfalto. Chegamos a tratar de um deles aqui na coluna.
2 – Pelo menos em Linha Imperial a pintura das faixas não demorou, acontecendo imediatamente após o recapeamento. Já houve casos em que a pintura demorou meses.
3 – Se existem muitos bons argumentos para a extinção ou mesmo privatização da EGR, há pelo menos uma justificativa razoável pela manutenção dos serviços dessa estatal. É o convênio mantido com o Corpo de Bombeiros Voluntários para o atendimento de ocorrências no trecho local da ERS-235. Com o dinheiro deste convênio, os bombeiros fazem importantes investimentos. Exemplo: a compra de dois caminhões há poucos anos.

PÓRTICO

Na mesma região em que a EGR fez a o recapeamento de necessidade questionável, a Prefeitura acaba de anunciar o início de uma obra muito bem-vinda: a reforma do pórtico. O custo será de R$ 16.800,00 e com certeza haverá uma transformação significativa naquele lugar. Para melhor, é claro. Feita a reforma, será necessária uma jardinagem mais regular no entorno, que muitas vezes passa a impressão de abandono.

LINHA OLINDA

A situação de Linha Olinda é tão grave, que os moradores já estão comentando que a retomada das obras consistirá inicialmente em arrancar o material já colocado. Talvez a situação não chegue a este ponto, mas que vai custar um dinheirão para reparar os prejuízos da obra parada, isso vai. E dinheiro é justamente o que o Estado não tem e a Prefeitura não tem sobrando.