Conecte-se conosco

Colunistas

Lindolfo Collor: quem quer ser vice do Alceu

Winck já disse que será candidato novamente e que pode concorrer, já que não perdeu os direitos políticos (mas, poderá ter a candidatura impugnada). Gordinho também pretende concorrer a prefeito. E ainda teremos Alceu. Até aí tudo certo. Mas, o que quero falar hoje é sobre vice. É bem importante que a escolha seja feita da melhor forma possível. E um destes candidatos a prefeito é o que mais tem opções para vice.

QUEM DECIDE

Falo de Alceu, que desde que saiu da Prefeitura, tem aliados que querem ser seu vice. Na Câmara, são cinco. Deles, dois têm vantagem e são do mesmo partido: Rejane e Diogo. A presidente, sempre deixou claro que gostaria de ser a vice de Alceu. Ela nunca escondeu que admira o trabalho feito pelo ex-prefeito. Rejane tem a Educação como bandeira. E ainda temos Diogo, o destaque do impeachment. Desde que assumiu na Câmara, ele aprendeu e evoluiu como político. Na região, ele ficou bem conhecido como um vereador coerente. Além disso, tem boa fala e é um político inteligente. Diogo é jovem, bem visto na comunidade e tem um futuro político. Mas, sabemos que no fim, quem decide mesmo é o “homem”, como todos mesmo dizem.

WINK NA ASSEMBLEIA

Não é novidade que ex-prefeitos sejam contratados como assessores. Alguns políticos não gostaram da ideia e disseram que pegaria “mal para o deputado”. Um deles lembrou do Iphone comprado com dinheiro público. Mas também teve gente que elogiou, já que Winck tem bastante conhecidos na região. Enfim, temos opiniões de todos os gostos.

O QUE DIZ O DEPUTADO

Conversei com Issur e ele comentou que Winck terá 60 dias de experiência e que terá o trabalho avaliado. Ele contou que o ex-prefeito vai trabalhar com o setor coureiro e com os pequenos produtores rurais. O deputado ressaltou também que o currículo de Winck é muito bom e que ele terá que apresentar relatórios do trabalho. “Ele tem potencial de trabalhar no gabinete e ele está à disposição da bancada do PP”, falou.

NO LEGISLATIVO

– A sessão da Câmara foi longa nesta semana, quase três horas.
– O vereador Alcírio pediu o porquê a obra da Arthur Weber não continuou. Em resposta, ele foi informado que o contrato com a empresa não foi renovado pela administração anterior.
– A secretária da Saúde também falou na sessão. Um dos destaques é que o Posto da Capivarinha será usado, como eu já havia falado aqui.
– A secretária Martina foi a segunda a falar. Contou que a Prefeitura estava inadimplente porque um precatório não foi pago no antigo governo.
– O vereador Marcos mostrou bastante indignação com isso, já que havia conseguido mais um recurso com o dep. Carlos Gomes para a compra de uma retro. Marco, aliás, já conseguiu diversas emendas.