O desgosto pela política só atinge as pessoas de bem

É claro que não dá para generalizar, mas o desencanto vem de muito tempo. Os mais antigos se lembram quem era o PT quando foi fundado por todo o Brasil. Ele era integrado por pessoas de bem, da classe média e alta, empresários, intelectuais, funcionários públicos capacitados, enfim, era uma gama de filiados que fazia do PT um partido de oposição com princípios e que se opunha a tudo que estava aí naquele final dos anos 80. O discurso do PT era de pureza na política, fazia um discurso anticorrupção e por aí vai. Uma oposição que era bem vinda naquele limiar da democracia no Brasil. Do outro lado a Arena e o MDB, aí então já manchados por governos exercidos e que sempre deixam aquela marca indesejável de descaminhos. O PT não. Aqui em Ivoti, o PT era integrado, portanto, por gente de respeito além dos sindicalistas que são a verdadeira origem do partido. Pois bem, isto tudo se esboroou com o tempo e poucas destas pessoas de bem continuam no partido mormente depois que o PT assumiu o Executivo e se viu de que eram feitos as suas entranhas. Nada recomendável como partido que vendia a imagem de pureza e anticorrupção.

MDB

Agora o desgosto com a política atinge todos os partidos. As pessoas de bem deixam os partidos como se estivessem correndo de uma praga. A boa política cede lugar para a política do toma-lá-dá-cá até mesmo nas pequenas cidades. É claro que continuam bons políticos na atividade e o desgosto não é só pela política em si, que é malvista pela maioria da população. É que os maus exemplos predominam sobre os bons. A debandada que aconteceu com o PT de Ivoti há 20 anos agora se repete com o MDB. Numa tacada três dos principais líderes abandonaram o MDB. Paulo Buchmann, Dirceu Both e Sérgio Maggioni não estão mais no MDB e na política. Resolveram deixar a política provavelmente muito desgostosos com os rumos que os partidos tomaram. Nem tanto aqui nos municípios, mas a nível nacional. Tanto o ex-PP de Maria quanto o MDB de Dirceu, Paulo e Maggioni se envolveram até o pescoço com a corrupção a nível nacional e é difícil gente de bem se conformar com isso. A primeira coisa que pensam é o que estamos fazendo aqui. Aí sobram aqueles que fazem da política uma profissão e não pensam na coletividade, e sim, em primeiro lugar em si próprios. Depois da era Moro ficou difícil ficar na política com tantas barbaridades que aconteceram na política no Brasil, inclusive em Ivoti.

BOM LEMBRAR

É bom lembrar que aqui em Ivoti o MDB estava coligado com a última gestão de Arnaldo, na qual aconteceram casos de má gestão para não chamar de coisa pior. Isto deve ter ajudado a desgostar os três principais líderes do partido em Ivoti a sair do MDB e se desligar da política. Além do mais, ser prefeito nos dias de hoje virou um cargo de alta periculosidade. Do jeito que ficou a coisa, o prefeito tinha que ganhar salário insalubridade e periculosidade. Deu qualquer passinho em falso, mesmo sem dolo qualquer, lá vem um processo nas costas. Tem um prefeito aí de uma cidade do Estado que aposentou a caneta. Ele simplesmente resolveu não fazer mais nada. Aposentou a caneta. A administração dele está parando aos poucos.