Conecte-se conosco

 

Coluna Estância Velha

Um partido que não valoriza seus jovens, envelhece junto com a forma de fazer política

Cheia de curiosidades. Assim começou o ano na Câmara de Vereadores em 2020. O presidente interino Sérgio Werle, demonstrou claramente que está com um pé fora do MDB. Para começo de conversa indicou o vereador Valdeci de Vargas (Django-MDB), como líder de bancada. Todos sabem que Django foi um dos principais críticos da administração em 2019. Aliás, era líder de bancada, e foi destituído em favor de outro vereador, na época. Agora, retorna a liderança da bancada, com o aval do presidente do partido. Além desta estranha indicação, Sérgio Werle rasgou elogios ao diretor do Hospital, Ismael Nervo/PTB, sinais claros de que Sérgio pode ingressar no partido petebista em março.

CASA CHEIA

A casa estava cheia na primeira sessão do ano, como era previsível. Presidentes de partidos e suas lideranças, marcaram presença no Plenário. A estrela da noite foi o diretor do hospital Ismael Nervo, que recebeu elogios de quase todos os vereadores, pela sua dedicação e prestatividade, aos contatos dos vereadores. Aliás, elogio merecido, Ismael, também assim trata as nossas demandas.

JUVENTUDE

Quem não saiu da sessão satisfeita, foi a galera da juventude do MDB. Me falaram, que durante o dia, receberam a orientação do partido para irem à sessão apoiar os vereadores do partido, principalmente, Sérgio Werle que assumia como presidente. Pois os jovens atenderam ao chamado e se fizeram presentes, sentaram todos juntos, para demonstrar unidade. Os vereadores emedebistas, no entanto, nem tomaram conhecimento, esnobando a presença dos jovens. O grupo do whats JMDB, bombou de reclamações no final da sessão. Indignados, os jovens demonstravam insatisfação, com os elogios emitidos pelos vereadores do partido, a pessoas claramente oposicionistas do governo, e nada para os correligionários partidários. Cuidado, um partido que não valoriza seus jovens envelhece junto com a forma de fazer política.

EMENDA À LEI ORGÂNICA

Vereadores Márcia Ribeiro(PT), Carlos Bonne(PDT) e Valdeci de Vargas(MDB), entraram com um projeto de emenda à Lei Orgânica que proíbe férias, simultaneamente, de prefeito e vice-prefeito. Isso para evitar desperdício do dinheiro público com o remanejo de cargos, onerando os cofres públicos, como acontece neste início de ano. É a tal história, até hoje, é legal, porém, como a ordem é a economicidade, deveria ter sido evitado. Se a prefeita não confia no seu vice, eles que resolvam o problema de alguma forma, que não penalize os cofres públicos, já tão debilitado, com um déficit de milhões, que tem que ser recuperado até o final do ano. A emenda deve entrar em votação na próxima sessão, mas já recebeu o apoio dos vereadores Diego Francisco(PSDB) e Veridiana Monteiro(PSB), sinal de que será aprovado pela maioria.