Mais uma vez, Caxias do Sul aparece no centro de assaltos a banco no Rio Grande do Sul. Na semana passada, a Polícia Civil deflagrou a Operação Senhor da Lança e identificou uma fábrica de miguelitos (pregos entrelaçados que são espalhados para furar pneus de veículos) na cidade. Os desdobramentos da investigação sobre os roubos a banco em Ibiraiaras no ano passado ainda resultaram em duas prisões.

A operação da 1ª Delegacia de Repressão a Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), iniciou-se na última sexta-feira (7), quando Junior César de Borba, conhecido como Mestre, foi capturado na Rua dos Lenhadores, no bairro Santa Fé. O investigado deveria cumprir pena em prisão domiciliar, contudo a investigação demonstrou que ele costumava sair de casa. Ele teve a prisão preventiva ordenada pela 2ª Vara Criminal de Lagoa Vermelha.

No domingo (9), os agentes realizaram buscas em uma casa do bairro Desvio Rizzo, que é apontada como a fábrica de miguelitos da quadrilha investigada. Na sequência, policiais também foram até o sistema prisional para informar nova prisão preventiva contra dois investigados que estão presos desde a Operação Tríade, em 2017.

No mesmo dia, uma equipe de policiais prendeu Angelo Ribeiro da Silva, 46, o Minhoca, em Lagoa Vermelha. Ele é apontado como responsável por dar suporte logístico às duas organizações criminosas que atacaram Ibiraiaras em 2018.

Alvos da Operação Senhor da Lança

O Deic trata como duas organizações criminosas diferentes AS que realizaram os assaltos em Ibiraiaras em 2018. Contudo, o comando e a logística dos dois crimes foram feitos pelos mesmos investigados. Ambos os processos tramitam na Justiça de Lagoa Vermelha.

:: O primeiro roubo aconteceu na tarde de 2 de maio, quando seis criminosos chegaram em uma Parati preta, atiraram para o alto, fizeram reféns e quebraram a porta de vidro de um dos bancos. Por este caso, foram presos Alexandre Longhi da Rosa, 36, o Fazenda, Kleber Antonio Alves Lima, 39, Junior Cesar de Borba, 34, Ângelo Ribeiro da Silva, 46, o Minhoca, e Clodoaldo Pereira, 35.

O Deic aponta que este grupo também tem relação com os assaltos a banco acontecidos em Jaquirana, no dia 5 de julho de 2018, e em Santo Expedito do Sul, na Região Norte, em 6 de junho.

:: O segundo assalto aconteceu no dia 3 de dezembro e resultou na morte do gerente do Banco do Brasil Rodrigo Mocelin da Silva, 37, durante troca de tiros entre os policiais militares e os bandidos. Na sequência da perseguição, seis assaltantes morreram em confronto e outros três foram presos em flagrante. Após a resposta imediata da BM, a investigação do Deic teve como objetivo identificar os autores intelectuais do crime. Desta forma, foram responsabilizados Elautério Santos Marques, 42, o Secretário, Alexandre Longhi da Rosa, o Fazenda, e Ângelo Ribeiro da Silva, o Minhoca.

Quem tiver informações sobre roubos a banco pode denunciar diretamente a 1ª Delegacia de Repressão a Roubos, do Deic, pelo telefone 0800-510 2828 ou pelo aplicativo WhatsApp no (51) 98418-7814. Não é preciso se identificar.

Fonte: Pioneiro