Onyx deixou a Casa Civil para votar proposta em plenário (Créditos: Valter Campanato/Agência Brasil)

Dois ministros que detêm mandatos na Câmara dos Deputados foram exonerados para que possam votar a reforma da Previdência no plenário da Casa. As exonerações dos titulares da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), foram publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira (9).

— Os ministros que têm mandato já estão liberados para participarem da votação. O senhor presidente entende que a presença deles em plenário há de reforçar a presença do governo em plenário, no sentido que a Nova Previdência é essencial para o futuro do nosso país — disse na segunda-feira (8) o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros.

Além de Onyx e Álvaro Antônio, outros dois ministros são deputados federais: a titular da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), e o da pasta da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS). Até a publicação desta matéria, a exoneração da ministra não havia sido publicada.

Já sobre Osmar Terra, ainda não está decidido se ele irá aderir ao movimento — o suplente do ministro é o deputado Darcísio Perondi (MDB-RS), que integra a linha de frente em defesa da reforma da Previdência na Câmara. O parlamentar não poderia votar se Terra retornar ao mandato, o que poderia gerar desgaste na relação dos correligionários.

Plenário começa a discutir PEC

O plenário da Câmara dos Deputados começa nesta terça-feira a discussão da proposta de reforma da Previdência. Aprovado na madrugada da última sexta-feira (5) na comissão especial da Casa, após 16 horas de debates, o texto precisa do voto favorável de pelo menos 308 deputados — em dois turnos de votação — para ir à análise do Senado.

Após a aprovação na comissão, as negociações para votação no plenário se intensificaram. Às 9h, será realizada uma reunião do colégio de líderes da Câmara para tratar sobre a tramitação do texto.

— Vamos viver uma semana decisiva. O grande desafio nosso é a votação no plenário. Temos que mobilizar um número enorme de parlamentares, deputados, deputadas, para um tema que é fundamental e decisivo — disse o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em um podcast publicado em suas redes sociais.

No domingo (7), após encontro com Maia, o ministro Onyx Lorenzoni também demonstrou otimismo com a possibilidade de aprovação da PEC. Na análise dele, a proposta deve receber cerca de 330 votos favoráveis.

— Temos um cálculo realista ao redor de 330 (votos). Com pé bem no chão, caminhamos para ter algo em torno de 330 e pode ser até mais do que isso. É uma margem que a gente acredita ser possível — afirmou.

Fonte: GaúchaZH