Ex-presidente deve ficar preso pelo menos até quarta-feira, quando será julgado o habeas corpus (Créd. R7)

Diferente das primeiras 24 horas, quando recebeu visitas de amigos e aliados, o ex-presidente Michel Temer passou o sábado sozinho na cela onde cumpre prisão preventiva, na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. O mesmo deve acontecer neste domingo. Segundo a PF, as visitas são permitidas apenas de segundas a sextas, em horários previamente determinados.

O emedebista recebeu um livro sobre Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a Segunda Guerra Mundial. A publicação foi entregue na portaria do prédio pelo advogado Gustavo Guedes, que já defendeu Temer no Supremo Tribunal Federal. Guedes tentou visitar o ex-presidente, mas foi impedido.

Na sexta-feira, Temer recebeu a visita do advogado e amigo pessoal, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira e do ex-ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB-MS). Ambos disseram que o emedebista demonstra sinais de abatimento.

O ex-presidente deve ficar permanecer preso até pelo menos quarta-feira, dia em que a 1ª Turma do TRF2 (Tribunal Federal da 2.ª Região) julgará os habeas corpus ajuizados por Temer, Moreira Franco e outros detidos na semana passada, entre eles João Baptista Lima Filho e sua mulher, Maria Rita Fratezi.