Conecte-se conosco

Destaques

VÍDEO: após incêndio, morador de Lindolfo Collor reconstrói sua vida na nova casa

Lindolfo Collor – Com muita ajuda da comunidade collorense, o morador Valdair Souza, de 40 anos, já está se acostumando com sua nova casa. No último dia 13, ele viu parte de sua vida queimar junto à residência de madeira que alugava há mais de quatro anos, no bairro Feldmann.

Te acordo com Valdair, que trabalha na Metalúrgica Alternativa, o suporte dado a ele foi fundamental para que, pouco tempo após perder tudo, já estivesse se reestabelecendo em um novo local. “Tive muita ajuda da comunidade, dos vizinhos, dos meus colegas e donos da empresa onde trabalho e dos irmãos da Igreja. Minha irmã também ajudou a agilizar a minha mudança para nova casa”, destacou.

Rotina nova

Logo no dia seguinte ao incêndio, Valdair já havia encontrado um novo lar. O atual endereço do collorense é pouco mais de uma quadra distante do antigo. Antes morando em uma de madeira, ele agora vive em um ambiente com paredes de concreto e com muitas novidades. “Ganhei cozinha, pia, cama, roupeiro. Tem coisas que tenho agora que eu não tinha na outra casa”, comentou ele apontando para o rack onde fica um televisor, um rádio e alguns objetos pessoais. “Lá era pequeno, aqui a casa é maior. Agora estou bem-arrumado”, prossegue.

Ainda assim, as memórias ainda persistem na rotina de Valdair, que eventualmente cruza pela sua antiga casa. “De vez em quando ainda passo ali na frente. É caminho para voltar do trabalho. Eu fico ainda me mordendo um pouco, porque a ainda não caiu a ficha do que aconteceu”, relata.

Doações

Valdair recebeu a maioria das mobilhas que agora preenchem sua nova casa através de doações da comunidade de Lindolfo Collor. “A Rádio Collorense me ajudou bastante e fizeram um mutirão para me comprar parte da cozinha e o roupeiro do quarto”, contou. Entretanto, ainda há algumas carências a serem resolvidas. “Roupas eu também ganhei bastante, mas calçados ainda preciso de alguns. Os meus queimaram no incêndio, fiquei só com os que eu estava no momento”, conta Valdair.

Principais perdas

Ainda conforme Valdair, a perda dos móveis que estavam na residência destruída pelas chamas não o abalou tanto. “O objeto de maior valor que queimou la na outra casa era a minha bicicleta de passeio. É uma das coisas que mais sinto falta, e ainda estou pagando ela”, destaca.

Além da bicicleta, uma das principais perdas de Valdair no incêndio foi sua carteira de trabalho. Até o final da semana, ele pretende ir ao centro de Lindolfo Collor para aprender e se informar sobre como funciona a nova versão do documento, que é inteiramente digital.

Casa de madeira ficou destruída com o incêndio, assim como os pertences de Valdoir

O incêndio

A antiga residência de Valdair foi completamente consumida pelo fogo no final da manhã do dia 13 de fevereiro. Foram necessários três caminhões do Corpo de Bombeiros de Ivoti para apagar o incêndio de grandes proporções, que avariou outras casas ao redor do local. “Os vizinhos ficaram sabendo do incêndio e meu chefe foi me avisar. No início eu não acreditei. Pensei que era mentira. Quando chegamos já estava tudo abaixo”, finalizou.