Conecte-se conosco

 

Notícias

Estância Velha: morador afirma que também caiu em golpe dos nudes

Estância Velha – Após repercussão de reportagem do Diário sobre o “golpe dos nudes” aplicado via redes sociais em moradores de Morro Reuter e Dois Irmãos, agora foi a vez de uma vítima de Estância Velha relatar o problema. Segundo o morador, que prefere não se identificar, ele estava visitando sua família no interior no último domingo, 9, quando recebeu um convite de amizade via rede social Facebook. No perfil da moça, havia alguns amigos em comum com o morador, todos homens. Então, aceitou o convite.

Durante o dia ele trocou mensagens com uma moça que seria de São Leopoldo, de feições bonitas e belo corpo, aparentando ter cerca de 20 anos pelas imagens. A garota então passou para o morador seu contato de WhatsApp e por ali começou a trocar mensagens com o rapaz madrugada adentro. A partir dali, ambos começaram a enviar fotos. Algumas delas, ambos usando poucas roupas ou completamente nus.

Na segunda-feira, 10, o morador voltou a estabelecer contato com ela, que desta vez lhe mandou um vídeo, para em seguida apagar. Entre as mensagens trocadas, o rapaz chegou a encaminhar uma foto de rosto, e a partir de então, no dia seguinte, não conseguiu mais conversar com a mulher por ela ter bloqueado o número.

“O que tu tá pensando? De ‘sem-vergonhice’ com uma menor?”

Na quarta-feira, 12, o susto. O rapaz recebeu uma ligação de um número desconhecido, e quando atendeu, um homem do outro lado da linha o interrogou, questionando se ele era “fulano. Marido de ciclana”. O rapaz então confirmou as informações, então passou a ser ameaçado. Nas palavras do interrogador, ele afirmava ser pai da menina, alegando que ela tinha somente 16 anos e que havia lhe aplicado uma “surra”, por ficar conversando com estranhos e trocando informações íntimas. “O que tu tá pensando? De ficar de ‘sem-vergonhice’ com uma menor de idade?”, disparou o pai ao rapaz.

Durante a reprimenda, o suposto pai teria quebrado o notebook que a filha usava para trocar mensagens. E a partir deste instante, o rapaz começou a ser chantageado. O morador conta: “ele disse que era separado e tinha a guarda compartilhada da filha. Que havia quebrado o note da garota, que custava cerca de R$ 2.500, e que agora ele tinha que dar um jeito, pois senão se incomodaria com a mãe da garota e perderia a guarda”.

A vítima de Estância Velha então relatou que não sabia que a menina era de menor, apontando que ela o havia procurado e que sequer a conhecia pessoalmente, alegando, por fim, que não poderia ajudar na questão relacionada ao notebook por não ter dinheiro. “Então ele engrossou o tom de voz e endureceu a conversa. Que tinha visto o meu rosto. Me ameaçando que eu deveria pagar o notebook para ele deixar pra lá, porque aquilo era pedofilia e se ele fosse na polícia eu seria incriminado. Ele chegou a me dizer seu nome duas vezes e fiquei tão nervoso que nem lembro qual é”, apontou o rapaz.

O morador alega estar sem dormir há dois dias e sem se alimentar, tamanho a situação de estresse em que está passando. “Eu sei que errei. Estou com os nervos a flor da pele. Depois que li a reportagem do Diário, percebi que eu não era o único. E até como ela tinha contatos em comum comigo, vou alertar estas pessoas também”, ressaltou.

As formas de pagamento

O pai da moça pressionou o morador em duas ligações na quarta-feira. No segundo contato, o homem parecia mais acessível, afirmando que o rapaz poderia dar a metade do valor do notebook, depositando o dinheiro na conta da sua irmã, e o restante podendo parcelar. Sugeriu, ainda, que o rapaz comprasse então um equipamento com as mesmas especificações e encaminhasse para um endereço, que não chegou a informar. “O cara disse que só precisava de uma garantia. Ele diria a mãe da moça que bateu nela por estar bêbado, que acabou quebrando o note no ato, mas acabou comprando outro para não se incomodar”, informou.

Para conseguir um pouco de paz, afirmou para o pai que teria que “correr” atrás de dinheiro e até segunda-feira, 17, lhe daria uma posição. O rapaz se mostra constrangido com toda a situação e garante que nunca havia passado por nada parecido. “Não contei a minha esposa, mas penso em conversar com ela. Nunca fiz isso na vida, sou um cara trabalhador. Tenho filhos em casa. Foi um erro que não cometerei mais”, desabafou.

 

 

 

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *